Disseste-me…

Todas as vezes que nos posicionamos para orar a palavra, lembramos a Deus o que ele nos disse um dia, ou o que ele disse ao nosso pai Abraão e assumimos como herança das promessas que nos alcançam.
Mas quase sempre esquecemos o que ele nos disse, nos deu como promessa especifica quando fizemos com ele o nosso primeiro pacto e compromisso de amor, algo que recebemos de forma especifica em nossa conversão ou nos primeiros anos, quando assumimos o nosso ministério.
Meditando nos últimos dias, resolvi voltar ao principio e comecei a reler Genesis e fui muito ministrada pelo pacto que Deus fez com Abraão. Ha detalhes, que muitas vezes nos passam despercebidos, mas que fazem parte da natureza de um pacto e do caráter de Deus.
Em Gn 15;10 Abraão ao tomar os animais como sacrifício , usa elementos de provisão e os usa partidos ao meio, exceto as aves. Creio que muitas vezes esquecemos que um pacto sempre compreende partilha, divisão e compartilhamento daquilo que temos, servir ao outro o que pomos a mesa, em proporção justa …
Abraão usa coisas comuns, por que ate então era um homem comum…
Antes Deus o havia tirado da tenda, do lugar  que limitava a sua visão e o levado para fora e havia mostrado algo que havia no céu, que estava alem do que ele podia tocar e podia ver  ou contar… Deus lhe fez promessas, Abraão  lhe fez perguntas…
A resposta de Deus foi lhe ensinar a usar o que ele tinha como elementos comuns na sua parte do pacto, Deus foi especifico nos termos.
A  Abraão coube determinar o modo como cumpriria a sua parte e por isso dispôs as metades da forma que conhecia.
Abraão tratou de proteger sua parte comum, sua oferta, do ataque das aves de rapina. Ele  zelou pela integridade da sua oferta, sua parte  naquela aliança.
Deus fez o que Abraão nao podia fazer… Por isso lhe deu profundo sono ao por do sol e falou ao seu coração todas as coisas que seriam feitas por causa daquela aliança.
E o Deus que havia antes dito que seria o escudo e proteção agora também lhe dizia que seria a sua justiça, apos todos os termos colocados, Deus de forma sobrenatural trás  a escuridão para mostrar a luz da sua gloria, através de um fogo sobrenatural que passa sobre as metades  ali postas por Abraão.
Purificando tudo o que era comum, consumindo em aceitação do que lhe foi oferecido em aliança e finalizando o pacto estendendo a  descendência de Abraão de forma clara, estabelecendo limites, dando nomes as possessões de terra, rios e povos.
O compartilhar as partes  deu inicio a uma aliança. Pactos sempre compreendem duas partes…
Ao terminar de meditar sobre o inicio desse pacto o qual herdamos como posteridade e descendência de Abraão, pude voltar ao inicio da minha conversão e do meu ministério, e pude contemplar o quanto Deus tem sido fiel todos esses anos e de que forma sobrenatural ele tem feito sobre todas as coisas comuns que lhe entreguei, como a minha porção nessa aliança.
Deus tem tornado extraordinária uma vida comum, uma oferta comum… Ofertei a ele a minha vida, consagrei a ele uma vida  de serviço no ministério e em todas as coisas posso ver Deus passeando com a sua tocha acesa, manifestando gloria, honrando o que tenho lhe oferecido : ministério, relacionamentos, finanças, saúde.
Em tudo tenho visto a manifestação do extraordinário de Deus. E o que os meus olhos ainda nao alcançam, eu sei que esta La para ser alcançado, por que ele prometeu e posso andar em confiança no cumprimento dessa promessa.
Eu e Deus temos uma aliança. A fidelidade do caráter dele me faz prosseguir confiadamente.
Apesar disso, muitas vezes entro em preocupações e temores humanos, pois estou acostumada a uma provisão suprida de forma comum,  a soluções lógicas, acontecimentos previsíveis… e o Deus que firmou comigo uma aliança forjada e selada de forma única, tem o seu próprio modo de cumprir as suas promessas, ser fiel aos seus pactos…
Na escuridão, assim como em Gn15, ele se revela em gloria e circunda os pactos com  sua tocha surgida nao se sabe de onde, para honrar um compromisso que foi feito de forma comum de maneira incomum…
Um Deus extraordinário, em circunstancias impossíveis a mim , dizendo quem é na linguagem que lhe e própria: um amor que responde de forma visível  a inquietações invisíveis.
“Disseste-me”, é uma expressão que sempre me trás a lembrança das promessas cumpridas a uma vida transformada como resposta a  uma aliança eterna.
Uma aliança intima  que  fiz com algo comum, mas que foi feita com alguém que é extraordinário, e transforma tudo o que é comum em extraordinário.
Este é o Deus que eu sirvo um Deus que transforma serviço em amor, e coisas ordinárias em extraordinárias.
“Disseste-me”  tem gosto e som de palavras cumpridas, de promessas que nao serão quebradas, de um Pai que nao esquece compromissos, de uma palavra que nao volta atrás…
No altar íntimo  , as alianças são eternas.
Andrea Rebouças – Curitiba


One comment

  1. Andrea,
    Parabéns pelo Blog!
    A foto de fundo é Imbassaí?
    Tenho um blog que falo de peculiaridades de nossa terra, bobeiras e amenidades, coisas de um coração saudoso, quando der passe lá: http://dejunto.blogspot.com/
    Tenho um outro que uso como desabafo, para postar poesias, frases, fotos e textos: momentopalavrasaovento.blogspot.com
    Ambos bem pessoal!
    abç,
    Carla.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s